Viciado em açúcar: Sinais para identificá-lo e chaves para combatê-lo

Inconscientemente, aumentamos nossa ingestão de açúcar. Aqui está um guia para revisar e melhorar a qualidade de nossos alimentos.

 

É verdade: o açúcar é necessário para a sobrevivência.

Nossas células precisam de glicose como combustível.

O problema com o açúcar é que ele está disponível demais e consumido em excesso em nossa sociedade, porque tendemos a escolher alimentos práticos, baratos e fáceis de alcançar. Podemos encontrá-lo em locais tão incomuns quanto farmácias, em formas processadas, simples e artificiais.

PUBLICIDADE

E porque não dizê-lo: no topo, eles são deliciosos. Isso pode levar a um amplo espectro de problemas de saúde, altos níveis de açúcar no sangue e ganho de peso. Quando se trata de consumo de açúcar, a conscientização é fundamental.

Então, antes de começar a falar sobre o vício, você já se perguntou quanto açúcar realmente come?

PUBLICIDADE

Você sabe o quanto é sério?


PUBLICIDADE

Nos últimos 40 anos, aumentamos nossa ingestão calórica em cerca de 500 quilocalorias (kcal) por dia, ou seja, consumimos 500 kcal a mais do que antes. Todo esse aumento é devido ao açúcar e xarope de milho com alto teor de frutose (HFCS): um tipo de açúcar completamente artificial que é adicionado a praticamente tudo. De biscoitos e assados ​​a molhos e molhos.

Hoje, a comida nos restaurantes e nas prateleiras dos supermercados tende a ter tanto açúcar que aumentamos nosso consumo quase sem perceber. Prestar atenção à quantidade de açúcar que consumimos em um dia normal, pode nos ajudar a revelar se tivermos consciência da quantidade que ingerimos.

Para saber se somos viciados em açúcar, teremos que investigar um pouquinho

Por onde começar?

Primeiro, podemos ler a lista de ingredientes dos alimentos que temos em casa. Lá, você poderá identificar todos os tipos de açúcares adicionados: xaropes, HFCS, glicose, açúcar, maltose, maltodextrinas, dextrose e muito mais.

 

Mas, fundamentalmente, você deve ouvir seu corpo e começar a prestar atenção ao seu nível de energia e humor depois de comer. Nosso corpo é muito inteligente, mas às vezes esquecemos de ouvi-lo. O alto consumo de açúcar causa aumentos na liberação de dopamina: um neurotransmissor que atua no sistema nervoso central e faz parte do sistema de recompensa, gerando prazer e satisfação. Quanto mais açúcar ingerimos, mais dopamina é liberada.

Porém, à medida que o consumo aumenta e continua com o tempo, uma “resistência” a esse sinal de dopamina se desenvolve: precisamos de mais e mais para obter o mesmo sentimento de satisfação. Por este mecanismo ocorrem vícios.

Se você come muitos doces e sente que não pode parar e seu humor e energia geralmente estão baixos, você pode ser viciado em açúcar.

 OS SINAIS PODEM INCLUIR

  • A “queda da tarde”, na qual sua energia atinge o pico logo após o almoço e depois despenca.
  • Desejos por açúcar e carboidratos, como o famoso “Preciso de algo doce”.
  • Surtos de irritação, desconforto, ansiedade ou depressão, que geralmente se dissipam após a ingestão de doces.
  • Crescimento excessivo de leveduras ou bactérias: disbiose e alterações na microbiota intestinal.
  • Inflamação ou dor nas articulações.

Muitas vezes, estes são o resultado do vício em açúcar. É importante consultar o seu médico quando sentir algum destes sintomas.

Se você está “viciado” em açúcar, pode ser difícil interromper o ciclo, mas não é impossível. Você pode fazer isso alterando sua dieta e estilo de vida. Isso ajudará você a equilibrar seus níveis de açúcar no sangue, ou seja, o açúcar no sangue.

Isso é importante, independentemente de você ter diabetes. Especialmente porque permitirá manter os desejos afastados e alcançar ou manter um peso saudável ao longo do tempo. O ganho de peso e o desequilíbrio nos níveis de açúcar no sangue influenciam-se mutuamente, porque os hormônios que sinalizam fome e saciedade são afetados pela glicemia e por nossos hábitos.

6 maneiras de recuperar o equilíbrio 

  1. Elimine o açúcar (especialmente HFCS e adoçantes artificiais).
  2. Adicione alimentos ricos em nutrientes, como proteínas, vegetais e gorduras saudáveis ​​de alta qualidade, alguns minutos antes de comer carboidratos.
  3. Adicione fibras solúveis (sim, mais vegetais) para equilibrar os níveis de açúcar no sangue e insulina.
  4. Durma pelo menos 7-8 horas todas as noites. Quando dormimos pouco ou mal, aumentam os desejos por doces e carboidratos. Horas ruins ou má qualidade do sono estão associadas a um risco aumentado de diabetes e obesidade.
  5. Combine os carboidratos e açúcares que você come com gorduras e / ou proteínas.
  6. Mexa-se! O exercício regular ajuda a diminuir os níveis de açúcar no sangue e, assim, reduz o desejo por doces.

Conclusão: uma alta ingestão de açúcar pode causar desequilíbrios no açúcar no sangue, afetar seu humor e desencadear uma resposta exagerada ao estresse. Mas, fundamentalmente, lembre-se de que comer açúcar faz com que você queira mais açúcar.

PUBLICIDADE

Escrito por Jaqueline Matias

Colunista e redatores iniciante especializada em receitas e quitutes culinários mais badalados do momento no nicho!