J.K Rowlling autora de Harry Potter voltou à atacar a comunidade LGBT+

Ela tuitou como resposta a um artigo de um site da global Devex, deixando a escritora um tanto ressentida com a matéria "gerando um planeta igual pós pandemia as pessoas que menstruam".

J.K Rowling, autora dos livros da saga Harry Potter, causou raiva nos fãs e aos membros da comunidade LGBT+ nas redes no domingo (7) passado, após várias postagens no Twitter, onde são vistos como transfóbicos em pleno momento de protestos anti discriminatórios por todo o mundo.

Ela tuitou como resposta a um artigo de um site da global Devex, deixando a escritora um tanto ressentida com a matéria “gerando um planeta igual pós pandemia as pessoas que menstruam”.

PUBLICIDADE

“Pessoas que podem menstruar? Estou certa de que havia uma palavras que definia essas pessoas. Alguém consegue me auxiliar? Wumben? Woomud? Wimpund? (modificando de propósito a palavra “Woman”, mulher (em inglês)”, postando ao final do sábado.

Críticos mencionaram que as palavras de Rowling igualam feminilidade à menstruação, enquanto vários homens trans também menstruam, e algumas mulheres, não.

PUBLICIDADE

“É capaz de criar um mundo mágico todinho, mas não compreende a existência de homens trans? Não menstruo desde 2017 – minha feminilidade então ficou em standy até que possa conseguir menstruar?”, falou a autora do Reino Unido e também colunista de relacionamentos, Beth McColl.

Rowling, de 54 anos por sua vez se defendeu, dizendo que não tinha o objetivo de ofender os transsexuais, apenas ressaltar que “o sexo existe e há consequências sentidas na pele”.

PUBLICIDADE

“É respeitável o direito de todos os transsexuais em viver de forma que mais lhe apraz, com autenticidade. Entraria no protesto junto de vocês, caso fossem discriminados com o fato de serem trans”, postou J.K no Twitter.

“De uma mesma maneira, tive uma vida moldada por ser mulher. Não creio que seja motivo de ódio dizer isso”.

Um porta-voz da autora não quis entrar em mais detalhes, nem comentar mais sobre o assunto.

A escritora britânica já passou por outro episódios, criticada por suas visões quanto ao público LGBT+ no passado. Em dezembro ela deu todo seu apoio a uma mulher que ficou desempregada por tuitar que as pessoas não devem mudar seu sexo biológico”. Também foi criticada por adicionar uma relação homossexual à saga “Harry Potter”, após os livros terem sido publicados.

PUBLICIDADE

Escrito por News Report

Colunista de notícias, visando levar a informação à leitores diversos, através da internet, mídias sociais, redator de plataforma em diversos assuntos.